Arquivo para agosto \31\UTC 2008

Greek – 2×01 – “Brothers and Sisters”

Como é bom ter de volta a melhor época do ano, para nós VeS, o fall season. E este não poderia começar melhor, pois teve como abertura uma das melhores séries do fall season do ano passado: Greek. A série volta pra sua segunda temporada, depois de uma primeira primorosa.

Ao começar a ver esse 2×01 de Greek eu me toquei do quanto sentia saudade da série. Embora tivesse aparentemente esquecido dela, eu na verdade esperava por ela, e esses primeiro segundo do episódio já serviram pra me mostrar que ela é uma série insubstituível. Após o “Previously in Greek” me dei de cara com a nova temporada, cheio de expectativas.

Nesse primeiro episódio não fomos bem apresentados as tramas que realmente tecerão essa temporada, apenas vimos algumas histórias incompletas da primeira temporada tendo resoluções, mas sim, já houve uma abertura pra próximas tramas. Como por exemplo a “amizade” que parece surgir entre Rebecca e Casey, o abismo cada vez maior entre Cappie e Evan e o romance-problema de Frannie e Chambers.

No episódio, estão abertas a Semana Olímpica do Sistema Grego, onde as fraternidades competirão entre si para conquistarem os troféus (um para as meninas e outro pros meninos). Mais uma vez vemos as competições entre fraternidades, mais uma vez vemos competições internas, mais uma vez vemos competições entre participantes (leia-se Cappie e Evans), e mais uma vez vemos o show dos “kapatau” em saber competir. Mais uma vez a amizade de Calvin e Rusty é posta em risco, assim como a presidência de Casey, mais uma vez por causa da Rebecca. Em suma, vemos a mesma Greek da 1ª temporada. Mas depois de alguns minutos de episódios, passamos a ver as transições dos personagens da 1ª temporada para o que veremos deles daqui pra frente. São elas que fazem o episódio valer a pena.

OBSERVAÇÕES: Cada vez mais confio menos na Frannie, não sei porque, mas a pulga que já tinha saído há muito tempo de trás da minha orelha voltou ! També gosto cada vez menos do Chambers, ele deixou de ser um idiota qualquer pra se tornar algo mais perigoso, prevejo muita dor de cabeça causada por ele nessa temporada.

Me rachei de tanto rir com a piadinha do Cappie no começo do episódio. Quando ele chama o Chambers de Evan-gelina Jolie. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Hilário !

DESTAQUE: Beaver e sua performance de cheerleader. Muito engraçado !

NOTA DO EPISÓDIO:  8,5

Então é isso, que venho o 2×03 semana que vem. Greek é exibido na ABC Family, as Terças. (EUA)

 

P.S.: Gostaria de parabenizar a equipe Cosa Nostra, que assumiu a legenda de Greek nessa segunda temporada. Eu mesmo me perco diversas vezes quando assisto a série sem legenda, o que mostra o quão difícil deve ser traduzi-la. Fizeram um trabalho excelente e em tão pouco tempo. PARABÉNS !

E pessoal, visto os problemas com a legenda na 1ª temporada, o mínimo que poderiam fazer era serem gratos à eles. Sem cobranças !

Valeu !

Temporada 2007/08 – The Big Bang Theory

The Big Bang Theory foi uma série com uma história engraçada para mim. Todos os anos, vejo todas as séries que vão estrear e procuro ver quais vão me agradar, mas The Big Bang Theory não entrou na minha lista o ano passado. A série não me agradou ! Mas ela fez sucesso (pelo menos no meu meio social) ! Não aguentava mais meu amigos falando da série, comentando os episódios, ou contando a nova do Sheldon. Eu decidi então assisti-la, e ADOREI !


A série tem como base a vida de Leonard e Sheldon, dois físicos que dividem o apartamento e vivem isolados do “mundo real”, preferindo o “mundo dos nerds” para se esconderem. Os poucos amigos que têm são Howard e Rajesh, companheiros deles na faculdade, e que dividem os mesmos gostos, tipo ‘Halo’. Mas a vida de Leonard e Sheldon vira de cabeça pra baixo quando uma linda (e burra) garota muda para o apartamento em frente ao deles.Leonard logo se apaixona por Penny, e esse amor impossível vai mudar toda a monotonia da vida dos dois e de seus amigos.

Eu me apaixonei por TBBT logo no terceiro episódio, fui vendo um atrás do outro e quando terminei a temporada (com gostinho de “quero mais”) me perguntei: PORQUE DIABOS NÃO GOSTEI DE TBBT QUANDO VI SUA SINOPSE ?

A resposta me pareceu lógica: a sinopse de TBBT não é capaz de descrever a complexidade da série. Ela não é uma série sobre ciência, nem uma sitcom fútil, nem a história de um amor improvável, nem qualquer outra coisa que a taxem. Ela é tudo isso sim, mas em sua devida proporção, reunidos a milhões de outras coisas, que fazem dela, uma das melhores séries de comédia que eu já vi na vida.

TBBT é uma série despretensiosa, leve, humor simples, que faz qualquer pessoa – até a mais rabugenta – rir. A ciência não é usada de forma a excluir o público, e sim de forma a adicioná-lo. Você não precisa entender absolutamente nada do que Sheldon e Leonard dizem para se divertir com a série (e é justamente por isso que você se diverte, por não entendê-los). Sheldon é talvez o personagem mais incompreendido e também o mais adorável da última fall season. Tem vezes que acho que ele fala outra língua. Vemos tudo da perspectiva de Leonard e Sheldon, mas estamos na perspectiva da Penny, pois ficamos mais perdidos do que ela quando vemos os dois discutirem.

Temos estereótipos ? O tempo todo ! Mas, por Deus ! Isso é uma sitcom, é essa a intenção da série, mostrar de forma caricata personagens do nosso cotidiano, que corremos o risco de esbarrar a cada dia. Penny não precisava ser tão burra (e linda) e nem Sheldon tão inteligente, mas são os exageros que fazem deles (e da série) perfeitos !

Nunca assisti “Two And A Half Man”, nem nunca tinha ouvido falar de Chuck Lorre antes, mas ele já um dos melhores roteiristas de séries, em minha humilde opinião. O elenco (também desconhecido, para mim) é de primeira qualidade e sua interação é perfeita. Os episódios são bem dirigidos, ágeis e com um ótimo tempo de comédia.

Sheldon (Jim Parsons) é sem dúvida nenhuma, o melhor personagem da série. Foi o que me motivou a assisti-la e o que continua me motivando a cada episódio. Tudo nele é engraçado, desde seus tiques, o seu jeito de ser, o fato de se sentir superior, suas piadas, e etc. Ele é a melhor coisa da série, a alma da série, o que a mantém em pé.

Aguardo ansiosamente pela segunda temporada de The Big Bang Theory.

Rapidinhas

Rapidinhas da semana, no mundo das séries, ou na TV, em geral.

Reality Shows:

Estreiou (semana passada) a versão 2008 de Ídolos, esse ano na RECORD. Esperei o programa ter pelo menos uns 3 episódios exibidos para poder comentar. A princípio, a RECORD merece o crédito por reformular o programa, que ficou muito mais próximo ao American Idol do que as versões exibidas pelo SBT, e também merece os parabéns pela divulgação do programa e a sua inclusão na internet (aconselho a todos entrarem o MySpace do programa), foi um investimento em massa pra chamar a atenção pro programa. Agora, falando do rpgrama, ele é bom. Os candidatos estão no nível que eu esperava, a edição está boa, e o Rodrigo Faro faz seu trabalho direitinho. O que prejudica um pouco o reality é o harário (23 hs, terça e quarta – ninguém merece) e os jurados. Os jurados são ótimos, mas se teve uma coisa que o SBT acertou quando fez o seu Ídolos foi a escolha dos jurados. Cyz, Miranda, Arnaldo Sacomanni e Thomas são sensacionais. Falta muito pra Calainho, Camargo e Paula Lima chegaremn ao mesmo nível, mas MUITO MESMO.

Séries:

1 – Tô começando a assistir muitas séries canceladas. Séries que eu não tinha assistido quando elas estavam em exibição e/ ou assistia, mas não dava sua devida importância e perdia muitos episódios. Entre váárias tem: That’s 70 Show, The OC, Gilmore Girls, Veronica Mars…. Já já, comentários sobre elas surgirão aqui  no VeS !

2 – Tem séries que acho sensacionais, mas não as assisto por motivos que desconheço. Gosto muito delas, mas nunca estão na minha programação da TV ou na lista de prioridades de downloads. Duas dessas séries são House e Medium. JURO que um dia assistirei à elas.

3 – Mas tem tanto BOXES DE DVD’S bom saindo hein ? Já saíram Jericho (2ª Temporada) e Pushing Daisies (1ª Temporada), e tem muito mais pra saírem em Setembro e Outubro. Kyle Xy, Chuck, Lost e muito mais.

4 – Finalmente algo novo aconteceu em The Secret Life Of The American Teenager (um dia eu desisto de escrever o nome dessa série), e a série dá sinal de vida. Isso merece um post especial aqui no VeS, na madrugada de hoje pra amanhã.

Essas foram as rapidinhas VeS dessa semana, até sexta que vem !

Acabou !

Por mais que já fosse esperado, é uma notícia triste para os fãs de One Tree Hill como eu, mas…

… A SEXTA TEMPORADA SERÁ A ÚLTIMA TEMPORADA DA SÉRIE !

Portanto, a partir de 01 de Setembro, começa a contagem regressiva dos 23 últimos episódios da série.

P.S.: Isso ainda não foi confirmado pelo The CW. Mas as (mais variadas) fontes confirmam… E com o tititi em sites especializados, é questão de tempo até aparecer a confirmação formal !

FIQUEM ATENTOS EM UPDATES NESSE POST !

E-mails

Recebi um e-mail da Paula Fernandes de São Gonçalo-RJ perguntando-me sobre as séries que eu fiz reviews dos pilotos e desde então, nunca mais falei delas.

E em outro e-mail, do Lucas (sem sobrenome, sem cidade), ele me pergunta sobre o Post de “Pushing Daisies”, que eu prometi, mas ainda não coloquei aqui no VeS!

As séries (acredito eu, já que ela não disse quais) são: “The Secret Life Of The American Teenager”, “Flashpoint” e “Do not Disturb”. E aqui estão as explicações para o sumiço delas daqui do VeS:


“DO NOT DISTURB” – Assim como “Fringe”, “Do Not Disturb” foi um piloto vazado, e portanto, não teve novos episódios, o que torna impossível comentar qualquer coisa sobre ela.

“FLASHPOINT” – Já teve 6 episódios exibidos. Os 5 primeiros já estão no meu HD a minha espera, mas a falta de tempo fez com que eu encalhasse no piloto. A série é ótima ! Pretendo assistir aos outros episódios, e assim que o fizer, faço as reviews aqui.

“THE SECRET LIFE OF THE AMERICAN TEENAGER” – (Eita nome, hein ?) Pra ser sincero, a série tá insuportável beeeem chatinha, ela prometeu muito no pilot, mas não emplacou. Ela tá parada. Deixando as tramas importantes da série para depois e mostrando historinhas fracas, pra segurar o episódio. Foram 6 episódios exibidos, assisti 5 deles. Comentarei sobre ela aqui, quando achar que aconteceu algo de significante que mereça um post.

SOBRE PUSHING DAISIES:

Eu sei que prometi já faz muito tempo o post sobre a temporada de estréia de Pushing Daisies e ainda não cumpri essa promessa. Desculpa, é falta de tempo mesmo. O meu computador anda até com saudades de mim (hehe).

Mas prometo pela milésima vez que, no mais tardar, na metade da semana que vem, o post de Pushing Daisies estará publicado aqui no VeS!

Temporada 2007/08 – FRIDAY NIGHT LIGHTS

Volto hoje para falar de Friday Night Lights. A minha queridinha da temporada 2006/07.

Friday Night Lights foi uma surpresa agradável quando estreou. Uma das preferidas da crítica (infelizmente, nem tanto do público) acabou revelando-se uma das melhores séries que a TV americana já foi capaz de fazer.

Logo a série mostrou um texto rápido, situações mais próximas do nosso cotidiano, um roteiro espetacular, um elenco primoroso, e uma fotografia impecável. Mas se teve uma série que foi prejudicada pela Greve dos Roteiristas, essa foi FNL. E isso foi muito prejudicial a série, já que ela precisa reagir na audiência, pois o que segura ela no ar é a boa crítica e uma recepção positiva por parte de alguns diretores do NBC.

A temporada foi muito boa, mas caiu levemente de qualidade, uma coisa aceitável para mim, pois como já disse aqui no blog, muito impossível uma série que teve uma primeira temporada ótima, manter o nível na segunda (a única exceção foi Dexter). A única coisa realmente ruim foi que a temporada não teve um fim. Várias histórias foram abertas, mas não finalizadas, e duvido muito que terão um final satisfatório, na próxima temporada.

PONTOS POSITIVOS: A fotografia da série continua incrível. E o roteiro também. As novas histórias dessa temporada foram ótimas. Desde o improvável romance de Tyra e Landry, até a rebeldia Julie. Foi tudo muito bem disado, tudo muito real. Aliás, a realidade de FNL é incrível, tudo ali parece ser tirado do nosso cotidiano, vemos o drama do vizinho, o romance do nosso colega, a história da TV, tudo ali, em Dillon.

PONTOS NEGATIVOS: Faltaram mais jogos. Futebol americano é a grande premissa da série, e foi meio deixado de lado nessa temporada. Tivemos jogos, assim como tivemos treinos, mas e menor quantidade, e com menos importância que na primeira. Outro ponto negativo foi a falta de um final. Por causa da greve, a temporada acabou com muitas pontas soltas, e que com certeza, não serão abordadas na próxima, já que os produtores devem dar atenção aos novos dramas.

MELHOR PERSONAGEM: Bem difícil escolher apenas um. Alguns como o Treinador Eric Taylor e Tim Riggins com certeza merecem esse prêmio, assim como “o 6” Jason Street. Mas para mim, nessa temporada, a melhor personagem foi Julie Taylor. Adolescentes revoltadas temos um monte na TV, mas com aquela realidade, só ela. Deu uma aula para Marissa Cooper. O fim do namoro com Matt, os problemas familiares, e o nascimento da irmã, fizeram a personagem crescer assustadoramente nessa temporada.

PIOR PERSONAGEM: Lyla. Ela é uma personagem interessante, de grande importância para a série, e com um destaque na 1ª temporada. E quando li os spoilers que diziam que ela se tornaria religiosa, imaginei coisas ótimas para ela, mas me enganei ! Ela virou uma personagem chata e repetitiva, sem muito destaque. Suas aparições eram, quase todas, para apontar os erros do Riggins. Tudo bem se isso durar 2 ou 3 episódios, mas uma temporada toda ? Tenha dó ! Foi um desperdício da personagem que, repito, é ótima. Seu único momento bom na temporada foi na viagem ao México que fez com Tim e Jason. Só !

SURPRESA DA TEMPORADA: O Season Finale (se é que podemos chamar assim), e não foi uma surpresa agradável… Diria decepcionante. Os Panthers mereciam um final digno (lembrando que esse poderia ser o final da série, uma vez que ela esteve bem próxima de ser cancelada). Outras surpresas: o namoro de Landry e Tyra e o fim do namoro de Matt e Julie.

TOP 5 – MELHORES EPISÓDIOS: Impossível dar valor aos episódios. Todos mantiveram o mesmo nível, o que torna impossível escolher o melhor ou o pior. Dou um destaque maior para o episódio que traz Tim, Lyla e Jason no México (2×05), e ao episódio do tornado (2×10).

PIOR EPISÓDIO: Nenhum. Todos mantiveram o nível.

MELHOR ATOR E MELHOR ATRIZ: Kyle Chandler (Eric) e Aime Teegarden (Julie).

MELHOR CENA: Várias cenas do episódio no México (2×05). Desde Street “nadando”, o seu “resgate” na praia, e a cena final do episódio, com os três curtindo junto.

EXPECTATIVAS PARA A PRÓXIMA TEMPORADA: Que a série se mantenha ótima (melhorar é difícil, mas não impossível – vide Dexter). Que Lyla receba uma nova storyline, ou que reaproveitem melhor a que já deram para ela. Que mostrem mais jogos de futebol. Que tenha histórias com início, meio, e fim ( o que deve acontecer agora, sem greve). Enfim, mais Friday Night Lights !

Comunidade VeS

Gente, acabei de criar a comunidade do Orkut do VeS !

Entrem !!

http://www.orkut.com.br/Community.aspx?cmm=63807009